24 de fevereiro de 2019

João Bigotte Chorão


   João Bigotte Chorão (1933-2019)

   Memorialista exímio, mestre na arte da evocação. Camilianista distinto — talvez o último. Amigo de Francisco Costa, evocou-o, há anos, no Museu Ferreira de Castro. Em tempos que já lá vão, tive a grande honra de o conhecer, em andanças camilianas onde João Bigotte Chorão era indispensável e assídua presença.   

24 de novembro de 2017

Pedro Rolo Duarte (1964-2017)


FB













"Foi há quase vinte anos. Queria à força ser independente, dono da minha vida, do meu destino, e saí de casa dos meus pais para viver sozinho numa casa alugada em Almoçageme, perto do mar da Praia Grande, que foi o mar da minha infância e juventude." 

Blog de Pedro Rolo Duarte (1964-2017)

8 de janeiro de 2017

Mário Soares, Sintra, 1993


Mário Soares em Sintra, nas comemorações do 10 de junho, assistindo, na primeira fila, à atuação de Tom Jobim, ladeado pela Dra. Maria de Jesus Barroso e por António Alçada Batista. Estive lá, no velhinho ringue do Parque da Liberdade.

Foto: FMS 

19 de abril de 2016

Germana Tânger: Vidas num vida




























Foi apresentado hoje no Teatro Nacional D. Maria II o livro de memórias de Germana Tânger, Vidas numa vida.  Aos noventa e seis anos, «as memórias surgem espontâneas no arrebatamento e no gosto pela arte de representar e a arte de transmitir a poesia, que é uma das mais exaltantes riquezas da cultura portuguesa a que a Maria Germana Tânger deu expressão» (do prefácio de António Macieira -Coelho).

24 de setembro de 2014

"O silêncio e a névoa aproximam mais as nossas almas"


Arquivo fotográfico CML

















POEMA DA "PENINHA"


Eu amo a névoa.
Eu amo esta estranha linguagem segredada...
Nasceram e desfizeram-se as distâncias...
Perderam-se contornos e arestas...
Transfigurou-se tudo,
Abstractamente...
E a minha alma descansa
Entre uma saudade calma
E um presente feliz...


Lá em baixo há manchas douradas,
Nuvens em fogo,
Ondas em fogo... cintilações... prata derretida...
(É mar ou céu?...)


- Deixa crescer este silêncio...
O silêncio e a névoa aproximam mais as nossas almas...
Deixa-te embalar em sonhos imprecisos...
 
 
                                              Cristovam Pavia