23 de maio de 2009

De boas intenções está o Inferno cheio


Os últimos planos que vieram a público para a resolução do problema do estacionamento na serra são de bradar aos céus. Falta-me agora, por pesados imperativos profissionais, a disponibilidade para dedicar a este assunto a devida atenção — mas revejo-me nas posições assumidas em alguns blogues sempre atentos na defesa da verdadeira identidade de Sintra (v.g. sintra, acerca de). Não há maneira de se fazer perceber a quem de direito que, no dia em que se fizer de Sintra um lugar igual aos outros, os atractivos que a tornam verdadeiramente única estarão irremediavelmente comprometidos. Falta nisto tudo muito bom senso, algum pudor na forma como se lida com um legado demasiado sensível para ser gerido por mãos inexpertas, ainda que aparentemente bem intencionadas, e uma certa cultura específica, dir-se-ia microclimática, como os nevoeiros da serra. O que mais dói é o carácter concertado, metódico, oficial, de toda esta trapalhada e a percepção cada vez mais clara de que o desastre está iminente.

António Lourenço

Sem comentários:

Enviar um comentário