19 de agosto de 2009

O último beijo


(Foto: António Passaporte, Arquivo Fotográfico Lisboa)
Agora que Agosto se despede, é tempo de o Beijo da Terra anunciar o seu fim, após alguns meses de discreta e apressada vida. Condenado à nascença a uma existência efémera, como certos amores fortuitos de Verão, pode ser que futuramente reincarne num projecto mais digno, sob outro nome e outras vestes. Até lá, como dizia certo romancista russo cujo nome agora não me recorda, o Beijo vai "andar por aí"... Até sempre!

8 comentários:

  1. Segui com muito interesse tudo aquilo que o seu blogue publicou.
    Volte depressa porque os seus "beijos" fazem falta a Sintra.
    emília reis

    ResponderEliminar
  2. Deu-nos muito gosto este amor de Verão e desgosta-nos que termine. Ficamos na expectativa de um regresso rápido.

    ResponderEliminar
  3. :/ é com tristeza que vejo esta despedida. Obrigada pelos teus beijos.
    VJesus

    ResponderEliminar
  4. Espero que esta interrupção seja breve- pois Sintra precisa de presenças na blogosfera como o "Beijo da Terra".
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Cara Emília Reis

    Também eu tenho seguido com grande interesse as suas intervenções em vários blogues que "frequento".
    Obrigado pelas suas palavras.

    ResponderEliminar
  6. Pedro:

    Pela corrente do "Rio das Maçãs" continuarão a chegar à blogosfera os bons pomos de Sintra.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Durante quinze anos passei férias na Praia das Maçãs. Tenho saudade da neblina e da brisa das manhãs. E ainda guardo a intensa maresia na memória das sensações. Lembro-me do Bibiô e do Xiripiti, das bolas de Berlim e do lobo-do-mar (banheiro) que pela manha construia as barraquinhas de pano riscado de azul e branco.

    Este blog faz-me bem. Volte depressa.

    ResponderEliminar