4 de outubro de 2010

O terceiro castelo



O São Gregório visto de longe por António Passaporte em 1950 (Arquivo CML).

Este arremedo de castelo saloio, a pôr-se em bicos de pés para os Mouros e para a Pena, representa bem o republicanismo possível numa terra que, se hoje mesmo, sob tantas feições, é ainda arreigadamente monárquica  — é ver a quantidade de carros com bandeirinha azul e branca que circulam entre o Ramalhão e a Vila — muito mais o seria nos idos da Primeira República, quando era ainda bem viva a memória glamorosa dos anos da corte.      

Foi mandado erigir por Gregório Casimiro Ribeiro, activo republicano, primeiro administrador do concelho do pós-monarquia, fundador das Queijadas Gregório e do jornal O Regional.    

No seu kitsch de pastiche ingénuo e um tanto ou quanto literal, não deixa de possuir certo encanto, sobretudo   quando uma neblina benfazeja se passeia sobre o Monte Sereno (um nome lindo...)

Apoteose das queijadas, castelo saloio à beira-Pena plantado, goste-se ou não, o São Gregório merece bem ser encarado como um dos monumentos de Sintra.
   

Uma visão hitchcockiana do castelo saloio aqui



Sem comentários:

Enviar um comentário